Exposições Virtuais

“O Ano Novo Chinês pelos poetas de Macau”

Com a exposição dedicada ao novo ano chinês, reunindo 12 textos de autores macaenses alusivos àquela que é uma das mais importantes festividades do calendário oriental, o IPOR inaugura uma nova rúbrica na sua reformulada página na internet.

Ao longo do ano de 2013, serão assim produzidas 5 exposições virtuais que, a par do objetivo de dar a conhecer o rico acervo bibliográfico da Biblioteca Camilo Pessanha, procurarão divulgar escritos e escritores de Macau e dos países de Língua Portuguesa, promovendo a literatura produzida neste amplo espaço de comunicação e de criação.

Abrimos com a chegada do ano da Serpente, símbolo de boa sorte, que augura novas descobertas assentes na sabedoria, mas também na calma, na reflexão e no planeamento a que apela.

Conheça os textos que selecionámos para si na exposição “Poemas ao Novo Ano” e Kung Hei Fat Choi! Um Bom Ano, cheio de sorte e de saber.

“Coleção Memória do Oriente – 20 Anos, 25 Livros”

 

“Exposição IPOR 25 anos”

O Instituto Português do Oriente apresenta ao público, no próximo dia 5 de Maio (terça-feira), a exposição IPOR 25 anos, com a qual procura registar o amplo e multifacetado trajeto da instituição ao longo dos 25 anos decorridos sobre a sua criação, em 1989.

Convocar esse património construído no tempo, por via das estratégias, dos projetos e das intervenções efetuadas, constitui uma forma não só de prestar um singelo tributo aos Associados do IPOR, aos colaboradores que por ela passaram e a todas entidades com as quais foram e são desenvolvidas ações de cooperação, mas também de o trazer para a reflexão e o desenho do futuro da instituição, à luz dos desafios que se perfilam.

Tem o IPOR como missão a promoção da Língua Portuguesa, do seu papel como instrumento de cooperação e espaço de encontro de culturas.

Uma missão que esteve na origem da formação em Língua Portuguesa prestada aos mais de 50 000 formandos que frequentaram cursos e formações ministradas pelo IPOR ao longo deste quarto de século, ou ainda nas mais de 700 intervenções desenvolvidas na área da promoção cultural, apenas na RAEM.

Procuram os 25 cartazes que compõem a Exposição documentar estas, bem como outras, dimensões da atividade do IPOR, nomeadamente a importante componente editorial e os contributos que esta vem conferindo à historiografia de Macau e da presença portuguesa na Ásia ou ao conhecimento de autores portugueses em língua chinesa. Referências demodo necessariamente resumido e ilustrativo, como a que igualmente se faz à ação do IPOR como parte da estrutura de coordenação da rede de Leitorados e de Centros Culturais na Ásia, que assumiu até 2009.

Finaliza a exposição um conjunto de 25 mensagens alusivas à efeméride, escritas por 25 entidades e personalidades da RAEM e de Portugal, onde muito apraz registar o reconhecimento que conferem ao papel e ao trabalho do IPOR.

São estímulos importantes para esse permanente processo de reflexão e de pesquisa de novas abordagens e propostas que cabe à instituição produzir, cumprindo, desse modo, os objetivos dos seus Associados e acompanhando os desígnios dos seus importantes interlocutores e parceiros na RAEM.